Pára-me de repente o Pensamento…
— Como se de repente sofreado
Na Douda Correria… em que, levado…
— Anda em Busca… da Paz… do Esquecimento

— Pára Surpreso… Escrutador… Atento
Como pára… um Cavalo Alucinado
Ante um Abismo… ante seus pés rasgado…
— Pára… e Fica… e Demora-se um Momento…

Vem trazido na Douda Correria
Pára à beira do Abismo e se demora

E Mergulha na Noute, Escura e Fria
Um olhar d'Aço, que na Noute explora…

— Mas a Espora da dor seu flanco estria…

— E Ele Galga… e Prossegue… sob a Espora!


Ângelo de Lima, in "Poesias completas" assírio & alvim, 2003

imagem de Jean-François Martin

1 comentário:

ana cristina leonardo disse...

belíssimo, como de costume. o conjunto, quero dizer