A INVISIBILIDADE DE DEUS

dizem que em sua boca se realiza a flor
outros afirmam:
a sua invisilidade é aparente
mas nunca toquei deus nesta escama de peixe
onde podemos compreender todos os oceanos
nunca tive a visão da sua bondosa mão

o certo
é que por vezes morremos magros até ao osso
sem amparo e sem deus
apenas um rosto muito belo surge estéreo
na vasta insónia que nos isolou do mundo
e sorri
dizendo que nos amou alguma vezes
mas não é o rosto de deus
nem o teu nem aquele outro
que durante anos permaneceu ausente
e o tempo revelou não ser meu.


Al Berto, in "o medo"

imagem de Greg Spalenka

1 comentário:

angi disse...

tenho "o medo" há uns anos já. e a custo de ser muito lido já não está em tão bom estado como isso. mas descubro sempre algo novo aqui. é bom perceber o bom que é estar atento. assim.

fico sem bicas por uns dias, mas qdo voltar peço muitas de uma vez. Fazem-me falta, e vou precisar.

bom natal, miguel ** :)