Engenheiro do tempo perdido


Marcel Duchamp (1887/1968)

Dadaísmo e Duchamp identificam-se, dadaísmo é Duchamp e vice-versa. Tendo partido da pintura impressionista e depois cubista, ou cubo-futurista, como bem ilustra "nu descendo as escadas", Duchamp chega ao dadaísmo, antecipando-lhe o nascimento oficial, dado que já em 1913-14, assinara como obra de arte uma roda de bicicleta e uma garrafeira. É a Duchamp que ficaram a dever-se as composições mais irónicas, que, em muitos casos, jogam com o duplo sentido e a ambiguidade: em 1919, desenhou um bigode inequivocamente masculino numa reprodução de "La Gioconda", fez-se retratar em trajos femininos, assumindo o pseudónimo de Rose Sélavy, ou seja, procedia a constantes desvios semânticos, como para confirmar fragilidade de qualquer definição, fosse ela qual fosse, verbal, artistica ou sexual. Foi o progenitor da arte conceptual, tanto por ter anteposto a ideia ao objecto, como por ter conferido ao artista uma espécie de omnipotência irónica.

3 comentários:

Anónimo disse...

Pierre Pinoncelli, um artista plástico de 77 anos foi, no passado mês de janeiro, forçado a pagar 214000 euros depois de ter reduzido a cacos uma das versões do urinol de Duchamp. Não se tratou de um vil acto de vandalismo, não! O suposto criminoso assumiu tamanho sacrilégio por amor à arte e por respeito a Duschamp, conduzindo assim a uma actualização da obra, a uma manifestação da filosofia Duchampiana. Saibam porquê estudando e compreendendo este marco da arte do século XX.
Está acto terá sido uma reencidência dado que 1993, o mesmo individuo, terá andado à martelada à mítica fonte ( outro urinol) não sem antes ter vertido as águas para dentro do mesmo...uma reinvenção artística portanto...

P.S. O sr terá exigido que a obra não fosse restaurada e mais..., que lhe fosse autorizado o acrescento da sua assinatura.

Anónimo disse...

há coisas...minha nossa

Miguel. disse...

Às vezes bem que gostava de completar algumas "obras" de arte... Tenho visto trabalhos de "artistas plásticos" que bem que precisavam de um toque de "arte"