«Como o universo inteiro andara de automóvel ou velocípede, a ocasião de pular de alegria aproveitará a muito poucos. Os raros peões indigentes que tiverem escapado a extermínios anteriores serão cuidadosamente esmagados e tudo seguirá, em fúria, para o duplo abismo que a odiosa mecanização invoca: o da imbecilidade dos homens e o da esterilidade das mulheres. As pessoas vão “divertir-se” em podridão e demência.»

Léon Bloy, in "Histórias desagradáveis" estampa, 1982
trad. Aníbal Fernandes

1 comentário:

Gabs disse...

É triste, mas é verdade. Acredito que não cheguemos a determinados extremos, e que ainda restem "raros peões",