A MOSCA

Terei de matar-te de novo.
Matei-te tantas vezes, em Casablanca, em Lima,
em Cristiânia,
em Montparnasse, numa casa do partido de Lobos,
no bordel, na cozinha, sobre um pente,
no escritório, nesta almofada
terei de matar-te de novo,
eu, com a minha única vida.


Julio Cortázar, in "Papéis inesperados" cavalo de ferro, 2010
trad. Sofia Castro Rodrigues e Virgílio Tenreiro Viseu

2 comentários:

Nádia C. disse...

cortázar corta a alma.

aquelabruxa disse...

em russo "mosca" diz-se "mosca". mas se dissermos a palavra a pensar em portugues e depois a pensar em russo parece que soa diferente.