«Do terraço deste café olho tremulamente para a vida. Pouco vejo dela – a espalhada – nesta sua concentração neste largo nítido e meu. Um marasmo, como um começo de bebedeira, elucida-me a alma de coisas. Decorre fora de mim, nos passos dos que passam e na fúria regulada de movimentos, a vida evidente e unânime. Nesta hora dos sentidos estagnarem-me e tudo me parecer outra coisa – as minha sensações um erro confuso e lúcido, abro asas mas não me movo, como um condor suposto.
Homem de ideais que sou, quem sabe se a minha maior aspiração não é realmente não passar de ocupar este lugar a esta mesa deste café?»

Fernando Pessoa, in “livro do desassossego” assírio & alvim, 2006
Pint. Almada Negreiros [ Fernando Pessoa ] 1954

5 comentários:

aquelabruxa disse...

uma bica bem tirada! pessoa é sempre um excelente café ;)

pedro disse...

coitadito do Bernardo Soares... o gajo já não era muito, mas vir daí o Pessoa tirar-lhe o Desassossego, ainda que seja o livro, não está bem.

luís nunes disse...

O Blogue controversos sentidos atribuíu ao seu Blogue o Prémio Dardos. Costuma ser hábito afixar o respectivo selo e a nomeação de novos 15 Blogues. abraço.

Anónimo disse...

olá,somos cá do brasil,esse quadro do almada negreiros é das melhores
coisas já feitas por um poeta-pintor reproduzindo o maior poeta de todos na nossa opinião!!!

www.colagemultra.blogspot.com
email:colagemultra@hotmail.com

Serjones disse...

bota desassossego nisso. escritores gostam disso ou isso gosta de escritores?