MEDO

Durante anos, acreditei que o sono mata.
E como o sono me estimulasse a vontade de morrer, raras foram as noites em que não estreei uma morte nova.
Com a prática, aprendi a prolongar a morte, adiando a agonia do despertar.
Para minha surpresa, ou decepção, a manhã confrontava-me com a extensão da empresa.
Vítima e espectador da minha vítima, acabei por vulgarizar a morte, com prejuízo do repouso que o sono me exigia.
Hoje durmo com uma facilidade espantosa e, raramente, me lembro de adormecer.
Ou sonhar.
Sem que eu ou a morte tenhamos assinado qualquer espécie de tréguas.


Jorge Fallorca, in "longe do mundo" frenesi (2004)

fotografia de Simon Larbalestier

3 comentários:

ricardo jorge disse...

curioso, esta foto é a que faz a capa do primeiro álbum dos Red House Painters.

marta disse...

pois é, do down colorfull hill.

miguel. disse...

pois é ... e o mesmo senhor também fez umas capinhas para os albuns dos Pixies...