A MOEDA DO TEMPO

Distraí-me e já tu ali não estavas
vendeste ao tempo a glória do início
e na mão recebeste a moeda fria
com que o tempo pagou a tua entrada


Gastão Cruz, in "a moeda do tempo" assírio & alvim (2006)

fotografia de Ralph Gibson

1 comentário:

menina limão disse...

fantástico este poema...