Manuel Fernando Gonçalves ["fechamos a alma, ao fim da tarde, com estrondo e animação"] & etc, 2007


BETABLOQUEANTE

O rapaz tem vergonha de falar
das coisas que o inquietam, não
gosta de ouvir a sua voz azul
calar as outras coisas que sente.
O rapaz é bonito, é demente,
é ansioso e muito cool —
parece ter um lapso no coração
quando está onde não devia estar.

O rapaz nem parece português
moderno: é moreno e alto, robusto,
simula a mesma pele do retrato
que usa por dentro de quem gosta
de o sentir distante e perto.
Não anda de avião, decerto,
prefere voar rente à costa,
elegante e de muito bom trato
mesmo quando sobe, a custo,
para mostrar tudo o que não vês.

O lindo rapaz é tenso como uma corda,
anda descalço quando quer e pode —
que bem que cheira o perfeito dorso!
Não o chamem, não façam esforço,
não será assim que o sangue explode
e ele fica nú, fica triste, ele acorda...


Manuel Fernando Gonçalves

4 comentários:

angi disse...

que prazer eu tiro sempre do teu blog...

miguel. disse...

obrigado angi... a mim também me dá prazer saber que outros também retiram prazer do meu prazer, o de partilhar as coisas "arrumadas" e também o de partilhar as coisas novas que pelo nosso mercado vão aparecendo, pelo menos algumas das que acho fundamentais...

aitb disse...

lol... pois.. "lapso no coração".. betabloqueante.. gostei do jogo do título com o poema.. gostei mto do poema.

au revoir :)

magarça disse...

Mais um "achado"... dois, aliás, o poema e o fantástico título do livro.