imagem de Tara McPherson


Os Animais Carnívoros

Dava pelo nome muito estrangeiro de Amor, era preciso
chamá-lo sem voz - difundia uma colorida multiplicação de mãos,
e apareciadepois todo nu escutando-se a si mesmo,
e fazia de estátua durante umparque inteiro,
de repente voltava-se e acontecera um crime, os jornais
diziam, ele vinha em estado completo de fotografia embriagada,
descobria-se sangue, a vítima caminhava com uma pêra na mão,
a boca estavaimpressa na doçura intransponível da pêra,
e depois já se não sabia o que fazer, ele era belo muito,
daquela espécie de beleza repentina eurgente,
inspirava a mais terrível acção do louvor, mas vinha comer às
nossas mãos, e bastava que tivéssemos muito silêncio para isso,
e então os dias cruzavam-se uns pelos outros e no meio habitava
uma montanha intensa, e mais tarde às noites trocavam-se e no meio
o que existia agora era uma plantação de espelhos,
o Amor aparecia e desaparecia em todos eles,
e tínhamos de ficar imóveis e sem compreender, porque ele era
uma criança assassina e andava pela terra com as suas
camisas brancasabertas,
as suas camisas negras e vermelhas todas desabotoadas.

Herberto Helder in. "Poesia Toda" assírio & alvim

3 comentários:

F P disse...

Miguel

Obrigado pela visita ao blog e pelo comentário. Aqui está outro grande escritor, mais Nobel que um Saramago, embora não precise de prémios para confirmar a grandeza da sua escrita.

Anónimo disse...

Your are Nice. And so is your site! Maybe you need some more pictures. Will return in the near future.
»

Anónimo disse...

I find some information here.