A.



Sempre que penso em ti estás a dançar levemente num clima de canela despenteada, ó aroma vagaroso, desórdem aérea, mas a memória tem pressa, o sangue tem pressa interna, e antes de pensar tremo, e depois tremo, pelo meio desenvolve-es o pavor de uma beleza maiúscula, o coração corre entre iluminuras rápidas, é uma criança sucessiva nas pautas da musica, assim escrevo uma nação simultânia, desapareces na respiração do teu vestido, entretanto a revelação anuncia-se pelo medo, curvas-te como as aldeias devoradas pela lua, mais tarde sempre que penso em ti estás com um lenço escrito nas duas mãos, e a tua velocidade abranda junto aos espelhos, expandes-te assim lentamente gravada, és uma floresta de silêncios visíveis, sempre que penso penso sempre ao contrário do fim, estás cada vez mais no princípio de ti mesma, então vejo que nesse lugar é o meu começo eterno, quando danças é um corpo rodeando a brancura rodeada ou de novo qualquer coisa criminal entre o cuidado e o espaço, nas linhas puras da solidão arde a cabeça, arde o vento, atrás de ti as imagens assassinas da noite- estrelas: subversão da noite, sempre que penso em ti danço até à ressurreição do tempo.

Herberto Helder in. " Os animais carníveros "

8 comentários:

.DolLy. disse...

Reconheço-o de outros tempos...

Miguel. disse...

De outros belos tempos, às vezes ainda penso nesses tempos, e em como esses tempos, foram tempos, como nenhuns outros tempos, em que o tempo não havia ainda, e havia sempre tempo, para mais um tempo. E onde está agora o tempo desses tempos?

Anónimo disse...

...por falar em tempo, que horas são???

.dolly. disse...

O tempo respondeu ao tempo que o tempo tem tanto tempo quanto tempo o tempo tem. Eu tenho tempo. E tu?

Miguel. disse...

Que horas devem ser agora no México???
:)

Anónimo disse...

Ora bem...horas...portanto... fuso horário e tal,...noves fora nada....ah, EUREKA, são horas de clamar por mares de papoilas excusivas, é isso, mares de papoilas exclusivas!!!!
E viva Zapata!!!!!!!!!!!

(esta foi mais uma ideia "edições-musas baunilha")

marta disse...

lindo este excerto!!

ana marta disse...

tantos começos aqui.