Aos Amigos



Amo devagar os amigos que são tristes com cinco dedos de cada lado.
Os amigos que enlouquecem e estão sentados, fechando os olhos,
com os livros atrás a arder para toda a eternidade.
Não os chamo, e eles voltam-se profundamente
dentro do fogo.
- Temos um talento doloroso e obscuro.
Construímos um lugar de silêncio.
De paixão.

Herberto Helder in. " Poesia Toda " assírio & alvim

1 comentário:

leo valmont disse...

Espero que enchas este teu Bolg de coisas maravilhosas como esta, para alegrar os nossos dias que às vezes são tão tristes.
Vou ser tua fã incondicional, e estarei cá quase todos os dias, para te dar força nesta tua nova faceta de bloguista.
Beijos da tua sempre e incondicionalmente amiga